TODO AQUELE QUE CRÊ NUM DOGMA, ABDICA COMPLETAMENTE DE SUAS FACULDADES. MOVIDO POR UMA CONFIANÇA IRRESISTÍVEL E UM INVENCÍVEL MEDO DOENTIO, ACEITA A PÉS JUNTOS AS MAIS ESTÚPIDAS INVENÇÕES.

Terça-feira, 02 de Fevereiro de 2010

        Uma questão que prejudica muito o cristianismo é que quase tudo que os teólogos afirmam é mistério. Não gosto de ver o cristianismo caracterizado como sendo a “religião dos mistérios”, pois mistério para mim é outra maneira de dizer que a doutrina é insustentável.

         O Espírito Santo só foi instituído oficialmente no Concílio Ecumênico de Constantinopla (381), ao qual a Bíblia foi adaptada. E a sua teologia foi bem montada por stº Agostinho e stº Tomás de Aquino. Lingüística, semântica e etimologicamente falando, em alemão “heilig” (santo) é um termo derivado de “heil” (total). E, em inglês, “holy” (santo) vem de “whole” (total). É o Jesuíta Huberto Rohden (“O Sermão da Montanha”, pág. 136, Ed. Martin Claret, São Paulo, SP), quem nos  mostra essas derivações. E para Rohden - como o demonstrei também na minha coluna anterior -, “total” na etimologia das duas palavras alemã e inglesa significa “universal”, porque o homem total, santo, por estar numa sintonia total com Deus e o universo, é universal. E o espírito humano, por ser derivado de Deus, é santo por natureza, embora ainda o seja só em estado potencial ou de semente. Daí que, no hebraico do Velho Testamento, temos “Ruach ha Kodesh” (Espírito do Santo) e no grego do Novo Testamento, “Pneuma Hagion” (Espírito Santo ou Santo Espírito). O sentido dessa expressão é o Espírito do Santo (homem e não Deus) ou o Espírito Santo do homem. “Farei levantar-se entre vós um homem de um Espírito Santo chamado Daniel” (Daniel 13,45, da Bíblia Católica, pois a protestantes vai só até o capítulo 12). Também são Paulo, que ainda não conhecia o Espírito Santo trinitário, disse: “Nós somos templos de um Espírito Santo”. Os tradutores colocaram o artigo definido “o” em vez do indefinido “um”, para se entender o Espírito Santo da Trindade (nosso livro “A Face Oculta das Religiões”, capítulo 7, EBM Ed., Santo André, SP).

         O Espiritismo não nega o Espírito Santo, apenas O interpreta como sendo o conjunto de todos os espíritos, ou seja, de conformidade com o sentido original bíblico. Que o Pai, eu e vocês (o Espírito Santo) sejamos todos um, ensinou o Mestre!

 


         O escritor, teósofo e biblista espírita José Reis Chaves é autor dos livros, entre outros, “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência”, 7a edição, e “A Face Oculta das Religiões”, 5a edição, (antes pela Ed. Martin Claret e agora pela EBM Ed., Sto André, SP).

 

 

publicado por SÉRGIO RIBEIRO às 01:31

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11

15
19

25



Últ. comentários
Excelente texto. Parabéns!
É como você mesmo colocou no subtítulo do seu blog...
Ok, Sergio.O seu e-amil é só esse: oigres.ribeiro@...
Ok, desejaria sim.
Ola, Sérgio.Gotaria de lhe fazer um convite:Gostar...
Obrigado e abraços.
www.apologiaespirita.org
Ola, Sérgio.Gostei de sua postagem, mas gostaria s...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro